Alfredo Augusto Varela de Vilares

Alfredo Augusto Varela Vilares nasceu em Jaguarão, no dia 16 de setembro de 1864. Filho de Manuel Rodrigues Vilares e Rosita Emília Dutra Varela. Alfredo foi um historiador e diplomata brasileiro.

Quando jovem, dedicou-se à carreira comercial, porém resolveu mudar e optou pela carreira de professor. Ingressou na Escola Militar, ficando pouco tempo já que não sentiu vocação na carreira.

Foto: Capa do livro “História da Grande Revolução”, de Alfredo Varela. Fonte: Google Imagens.

Estudou na Faculdade de Direito de São Paulo e na Faculdade de Direito de Recife, graduando-se em direito. Em 1889 retornou a cidade de Rio Grande. Tornou-se auxiliar de Júlio de Castilhos, e após a Proclamação da República, auxiliou na concepção da constituição do estado.

Como jornalista, Alfredo dirigiu o jornal “A Federação” de 1890 a 1891, e depois fundou o jornal “Folha Nova, ambos em Porto Alegre.

No ano de 1900, foi eleito deputado federal no Rio Grande do Sul, sendo membro do Partido Republicano Rio-grandense.

Já em 1903, atuando como jornalista, dirigiu o “Diário da Tarde”, na cidade de Curitiba. De 1904 a 1905 dirigiu o “Comércio do Brasil”, no Rio de Janeiro.

Teve importante participação na Revolta da Vacina, onde chegou a ser acusado de ser um dos líderes do movimento.

Como diplomata, foi sucessivamente cônsul do Brasil na Espanha no ano de 1908, no Japão em 1910, em Portugal em 1914 e na Itália também no ano de 1914, quando aposentou-se.

Escreveu algumas obras, como “Remembranças” em 1920, e  História da Grande Revolução, que fala sobre a história da Revolução Farroupilha e foi publicado pela Livraria do Globo em 1933, possuindo 6 volumes.

Foi dos fundadores do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul. É patrono de uma cadeira da Academia Rio-grandense de Letras.

Faleceu em 1943 no Rio de Janeiro.

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfredo_Augusto_Varela_de_Vilares